aktuell 138
ARTIGO ESCRITO POR

Mag. Michael Zimmermann
Gerente de Projetos da go-international, Netzwerk Projekte International (NPI)AUSSENWIRTSCHAFT AUSTRIA (COMÉRCIO EXTERIOR DA ÁUSTRIA) 

Soluções eficientes de transporte com o Banco Mundial

O Banco Mundial é considerado a mãe de todos os bancos de desenvolvimento e é composto por um conjunto de instituições. O Banco Mundial, junto com o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) e a Associação Internacional de Desenvolvimento (AID), que concede empréstimos e contribuições financeiras a fundo perdido, também está responsável pela Corporação Financeira Internacional (CFI), pela Agência Multilateral de Garantia de Investimento (AMGI) e pelo Centro Internacional para Resolução de Controvérsias sobre Investimentos (ICSID).

Sediada em Washington D.C. e com uma rede global de cerca de 130 escritórios, o Banco está bem conectado localmente em todo o mundo e sempre em contato próximo com seus mutuários: do Afeganistão ao Zimbábue.

De acordo com suas próprias declarações, o Banco Mundial é o maior parceiro para financiamento de desenvolvimento no setor de transporte. Na última década, US$ 49 bilhões foram assegurados para 339 projetos de transporte em 93 países ao redor do mundo. O objetivo é apoiar os países parceiros na construção de uma infraestrutura de transporte segura, limpa e eficiente.

Isso é feito por meio de financiamento e subsídios, bem como pela transmissão de conhecimentos e por consultoria. Todos os anos são elaborados cerca de 70 serviços de consultoria e relatórios de análise para o setor de transporte. A gama de serviços varia desde descarbonização dos transportes, mobilidade sustentável para todos, mobilidade rural, capital humano até gênero e mudanças climáticas.

Destacam-se projetos de grande porte como o metrô da capital equatoriana Quito, com um volume total de US$ 1,7 bilhões, sendo a metade financiada por bancos de desenvolvimento.

Em relação aos objetivos de desenvolvimento do Banco, o projeto do metrô dá grande ênfase à redução dos impactos negativos nas mudanças climáticas, no desenvolvimento humano e na inclusão social.

Além disso, o Banco Mundial implementa inúmeras iniciativas de múltiplas partes interessadas, como o projeto Mobilidade Sustentável para Todos ou o Programa de Política de Transporte para a África. Pretende-se com isso melhorar a coordenação e a cooperação entre os diferentes atores.

O setor de transporte continua sendo uma das principais prioridades do Banco, não apenas por causa do volume de financiamento necessário, mas também em termos de sua importância para o desenvolvimento sustentável.

Portanto, a Câmara de Comércio da Áustria organiza um workshop anual do setor ferroviário em cooperação com o Banco Mundial, o Ministério Federal das Finanças e a Sociedade Austríaca de Ciência do Trânsito (ÖVG) para fomentar a discussão com o setor privado como uma importante fonte de inspiração.

Crescimento econômico sustentável com o Banco Asiático de Desenvolvimento

O crescimento econômico nos mercados emergentes da Ásia e as suas populações urbanas, com um aumento de 44 milhões de pessoas a cada ano, estão levando a uma demanda cada vez maior por soluções de mobilidade e transporte sustentáveis em toda a região. Os países-alvo do Banco Asiático de Desenvolvimento (ADB) vão do Mar Negro ao Pacífico e podem contar com o financiamento e a experiência do Banco. Esse Banco é um ator importante na região Ásia-Pacífico, sendo que 49 dos 68 países são membros. Países da Europa, dos EUA e do Canadá também são membros do Banco.

A maioria dos fundos vai, sobretudo, para projetos no setor de transporte e cobre: estradas, vias ferroviárias, metrôs, portos e veículos.

O objetivo do ADB é tornar o transporte sustentável. O foco do Banco é segurança, transporte urbano, redução de gases de efeito estufa e logística transfronteiriça. Ele também está envolvido em várias parcerias para o transporte sustentável, como, por exemplo, a União Internacional de Ferrovias (UIC).

O financiamento de projetos no setor de transporte é feito tanto com parceiros públicos quanto com o setor privado (não soberano) e inclui projetos de estradas, aeroportos e ferrovias.

O ADB também está engajado na preparação de dados e conhecimentos. O Asian Transport Outlook (ATO) foi publicado recentemente com o objetivo de facilitar a compreensão dos progressos feitos no setor de transporte no que diz respeito aos objetivos globais para o desenvolvimento sustentável (ODS) e ao Acordo de Paris. Com mais de 400 indicadores de 51 países, o ATO é uma fonte valiosa de informação e também documenta as condições da estrutura institucional, as regulamentações nacionais e os financiamentos no setor de transporte.

Projetos

Usbequistão - ADB

Como parte de um projeto financiado pelo ADB para eletrificar o Corredor 2 do Programa de Cooperação Econômica Regional da Ásia Central (CAREC), duas máquinas socadoras produzidas pela Plasser & Theurer foram entregues à ferrovia estadual uzbeque O’zbekiston Temir Yo’llari (UTY) no ano passado. O volume total do projeto foi de pouco menos de US$ 180 milhões, com o ADB apoiando-o com US$ 80 milhões, contribuindo significativamente para o crescimento econômico e a prosperidade no Uzbequistão que é um país que não tem costa litorânea.

Especificamente, a rota de 145 km de extensão, que representa o Corredor 2 do CAREC conectando as cidades de Pap, Namangan e Andijan, foi eletrificada. A cooperação de onze países da Ásia Central – Afeganistão, Azerbaijão, China, Geórgia, Cazaquistão, Quirguistão, Mongólia, Paquistão, Tadjiquistão, Turcomenistão e Uzbequistão – sob a iniciativa CAREC estabeleceu a meta de crescimento econômico e para promoção do comércio justo nesses países. Para isso, uma infraestrutura ferroviária funcional é um fator decisivo. É muito importante para a Plasser & Theurer apoiar essa iniciativa com máquinas de construção ferroviária de alta qualidade.

China – IBRD

O Projeto da Ferrovia ShiZheng, aprovado e financiado pelo Banco Mundial em 2008, tem o objetivo de construir uma linha de alta velocidade de 355 km entre as cidades de Shijiazhuang e Zhengzhou. Além da construção, a manutenção, que é particularmente importante para uma linha de alta velocidade, foi uma meta específica nesse projeto. Para o efeito, a Plasser & Theurer forneceu doze veículos de intervenção rápida para a catenária em um consórcio com a nossa parceira chinesa KCRC entre 2014 e 2015.